Projeto: A paisagem no loft

Associar a reforma deste loft à ideia de desconstrução, é bastante adequado. O foco principal era de investigar a fundo o espaço existente para aprimorar suas potencialidades e, na medida do possível, contornar suas deficiências que nesse caso eram uma rígida separação por ambientes e uma integração praticamente ausente entre eles.

O apartamento tem uma vista maravilhosa para o Porto Trapiche na Baía de Todos os Santos em Salvador mas contava com apenas uma única entrada de luz e ventilação. A base da intervenção feita pelo arquiteto Sidney Quintela foi lidar com essa contradição.

Poucos móveis para liberar espaço de circulação e visualização da paisagem

Poucos móveis para liberar espaço de circulação e visualização da paisagem

Sofá revestido de camurça, da Básica Home, Salvador

Sofá revestido de camurça, da Básica Home, Salvador

O ponto de partida foi a retirada das paredes internas; esta que não era uma questão meramente estética e sim uma necessidade real. O maior desafio era dotar os ambientes de melhores condições de luminosidade. Menos alvenaria e maior leveza e transparência eram as metas dessa reforma.

Quintela eliminou as divisões internas. A cozinha, por exemplo, foi integrada à área de refeições, o que representou um bem-vindo aumento da área social do apartamento. Da configuração original, apenas o sanitário de serviço foi preservado da integração. Além, claro, das dependências do proprietário.

Tanto da sala de jantar quanto da cozinha é plena a visualização do home theater

Tanto da sala de jantar quanto da cozinha é plena a visualização do home theater

Na sala de jantar, mesa desenhada por Jader Almeida e cadeiras do Estudio Bola

Na sala de jantar, mesa desenhada por Jader Almeida e cadeiras do Estudio Bola

O arquiteto optou por empregar venezianas de madeira como divisórias. Mas isso, apenas entre ambientes onde a privacidade era necessária e ainda assim, de forma não definitiva. Quando abertas as venezianas permitem a passagem de luz e ventilação. Quando fechadas, elas proporcionam o nível de vedação ideal.

As venezianas de madeira permitem total isolamento ou semitransparência entre os ambientes

As venezianas de madeira permitem total isolamento ou semi transparência entre os ambientes

Galeria de quadros no corredor interno

Galeria de quadros no corredor interno

Após definidas as condições pessoais, a escolha dos revestimentos teve por base a exigência do proprietário com a facilidade na manutenção, utilizando materiais duráveis e mais fáceis de limpar.

A madeira foi usada na maioria dos móveis para aquecer a ambientação e o porcelanato imitando cimento queimado para criar um “ar” rústico. Essa combinação do “quente” com o “frio” fica linda.

Nas áreas molhadas, pastilhas brancas recobrem as paredes, acentuando a luminosidade.

Banheiro revestido em pastilhas

Banheiro revestido em pastilhas

Apesar de não parecer, o apartamento é pequeno, por isso, a decoração evitou móveis e ornamentos em excesso. O bacana deste novo layout é ele que deixou a impressão do apartamento ser muito maior do que realmente é! A arquitetura faz milagre!

ZAGDICAS

  • A mistura de materiais nos revestimentos e móveis é uma ótima ideia mas sempre é preciso tomar cuidado para não ficar over.
  • Eliminar paredes em excesso é sempre uma boa ideia para espaços muito pequenos.
  • Cores e materiais neutros também contribuem para ampliar áreas menores.
DestaquesInterioresTendências

Enviar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *