Praia de Paulista

Viver no cartão postal de São Paulo, não é para qualquer um! Dentre os edifícios projetados pelo arquiteto modernista Abelardo de Souza na cidade, o Três Marias, construído em 1956, na Avenida Paulista com a Rua Haddock Lobo, é de longe um dos mais bem conservados. As pastilhas rosas e azuis de suas fachadas continuam a marcar presença em meio ao cinza da paisagem.

O arquiteto Caio Andreazza Morbin, há dois anos, mora em um apartamento de 260m2 no icônico edifício, no qual compôs o projeto de interiores das fotos abaixo.

Portas abertas para a Paulista com poltronas de alumínio da Bauxic e vaso de cerâmica italiano, na varanda.

Portas abertas para a Paulista com poltronas de alumínio da Bauxic e vaso de cerâmica italiano, na varanda.

Na sala de estar, voltada para a Avenida Paulista, sofá do francês Philippe Starck para a marca Driade, foi revestido com tecido de Attílio Baschera e Gregorio Kramer. Mistura de te cor e texturas deixa este living com estilo próprio.

Na sala de estar, voltada para a Avenida Paulista, sofá do francês Philippe Starck para a marca Driade, foi revestido com tecido de Attílio Baschera e Gregorio Kramer. Mistura de te cor e texturas deixa este living com estilo próprio.

Morbin enfrentou vários desafios para dar continuidade a reforma do apartamento. Levou seis meses paa empreender essa reforma capaz de transformar radicalmente o imóvel, sem descaracterizá-lo.

As primeiras providências foram restaurar o revestimento de pastilhas da varanda no padrão original azul da fachada e deixar aparente para a área social do apartamento um elemento vazado de concreto, visível somente na área de serviços, e ssim trazer luz natural para a sala de jantar. Sempre que possível, o arquiteto, tentou utilizar tons de rosa e azul nos interiores. Manteve e restaurou as luminárias de gesso que lá já estavam.

Na parede da sala de jantar, sequência de desenhos de Thiago Honório. O lustre é de Jason Miller.

Na parede da sala de jantar, sequência de desenhos de Thiago Honório. O lustre é de Jason Miller.

No mais, o projeto manteve a distribuição original proposta pelo arquiteto modernista, com pequenas intervenções no tamanho dos cômodos. Foram abertas passagens de 1,20m de largura para conectar as áreas sociais, que ficaram sem portas e receberam molduras de madeira ebanizada, e o expressivo e incrível pé direito, de 3,10m, que ganhou destaque ainda maior com o uso de portas de alumínio preto com policarbonato.

As esquadrias foram substituídas por modelos antirruídos de alumínio, no mesmo padrão e formato das originais (de madeira). A iluminação natural é intensa, tanto do lado da Paulista, onde ficam os quartos e o living, quanto do da Alameda Santos, onde estão a área de serviços e os banheiros.

Armário com espaço para refeições rápidas.

Armário com espaço para refeições rápidas.

Voltada para a Alameda Santos, a cozinha tem parede de elementos vazados.

Voltada para a Alameda Santos, a cozinha tem parede de elementos vazados.

No banheiro, o porcelanato preto com aspecto de pedra é da Roca.

No banheiro, o porcelanato preto com aspecto de pedra é da Roca.

Para evitar o excesso de pó, as janelas voltadas para a Paulista, ficam fechadas.

A padronização dos materiais tornou a fase de acabamentos a mais fácil, principalmente, menos cara da reforma. Nas áreas molhadas, placas de porcelanato de grande formato tem cor preta e aspecto mineral, enquanto os tacos de madeira originais foram ebanizados. Apenas os rodapés foram substituídos. As paredes do lavado, de estuque veneziano, fazem referencia à tonalidade rósea do edifício.

A sala de estar recebeu iluminação em trilho com spots empregados em galerias e museus. Já os lustres de gesso restaurados foram equipados com lâmpadas LED.

A área social foi muito enfatizada. Contrasta bastante a decoração contemporânea e o passado modernista. Essa combinação foi muito feliz!

 

ZAGDICAS

  • A madeira ebanizada (tipo de acabamento dado à madeira que a deixa preta e com os veios naturais marcados) é um ótimo material para ser usada em painéis de home theater, pois como é escura e sem brilho quase não reflete o que está na sala e nem desvia a atenção na hora de assistir tv.
  • A decoração contemporânea tem mobiliário de linhas direitas e de materiais pouco trabalhados. É muito valorizado o ambiente clean. Procurar optar por colocar poucos objetos decorativos, mantendo o espaço mais livre.
  • Para valorizar o pé direito alto, escolha uma parede em destaque e preencha com telas e fotografias em arranjos que vão até perto do teto. Escolher peças de tamanhos variados onde nenhuma se sobressai pois o valor visual vem do conjunto.
DestaquesInterioresTendências

Enviar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *